Os Prémios Goya, Em Directo 1

Os Prémios Goya, Em Directo

A XXVI edição dos prémios Goya se celebra esse domingo no Palácio Municipal de Congressos da Comunidade de Madrid. Urbizu foi o vasto vencedor desta edição. Agradeço por seguir em directo. Não haverá paz para os malvados. Urbizu, sem sombra de dúvida, é o vencedor da noite. Reta final de verdade. Não haverá paz pros mal s .

Almodóvar volta a perder um sério prêmio. 00.Quarenta e cinco h. – Neste instante sim, um dos prêmios mais disputados: Melhor análise masculina protagonista pra José Não haverá paz pros malvados. Bandeiras fica sem prêmio. 00.Trinta e oito h. – O prêmio para o mais incrível vídeo ibero-americana, anunciado por Ricardo Darín – que é seu personagem – é para Um conto chinês , de Sebastián Borensztein (Argentina). 00.36 h. – Melhor vídeo europeu pra The artist , de Michel desejo de fazer um filme. 00.35 h. – Melhor filme: Ouvindo o juiz Garzón .

Seu responsável, Isabel Coixet (interrompida por um espontâneo, que pedia “fazer um western em Extremadura”) proporciona que “preferia não fazer esse documentário, e que as vítimas estivessem justiça quando vão aos tribunais”. 00h30 h – Novo Goya pra Blackout .

Melhor design de guarda-roupa: Clara Bilbao. 00.Vinte e cinco h. – Em linha reta fim da gala. Melhor direção de arte pra João Pedro de Gaspar, por Blackout . 00.Vinte h. – Melhor video de animação: Rugas , que retrata a existência cotidiana numa casa de idosos. 00.15 h. – O Goya de Honra, que agora se conhecia, é pra diretora Josefina Molina. 00.Dez h. – Jan Cornet, por A pele que habito , leva o de melhor ator revelação. 00.05 h. – “Pedro, eu não irei narrar nada pelo motivo de se cabreas e você está indo a Academia”, diz Santiago Segura. Obteve ser o próximo apresentador da gala. 00.00 h. – Santiago Segura, meio a brincar meio a sério, sai de cena e se queixa que não lhe tenham indicado em nenhuma categoria.

O mais contundente e capaz, de noite. 23.Cinquenta e cinco h. – Um dos momentos emocionantes da gala. Melhor atriz coadjuvante: Elena Anaya, por A pele que habito. Formosura e elegância. Assuntos, sim, contudo é que, nesse caso, é bem verdade. Expressões para os técnicos e a equipe do vídeo. 23.50 h. – Melhor direção de fotografia: Juan Antonio Ruiz Anchía, por Blackout. 23.Quarenta e cinco h. – Melhor direção novel: Kike Maillo, por Eva .

Um dos Goya mais esperados. Um prêmio muito, muito aplaudido. De novo, a menção à ESCAC, um paradigma de sucesso. 23.39 h. – Melhor roteiro adaptado: Rosanna Cecchini, Paco Roca, Ignacio Ferreras e Anjo da Cruz, por Rugas .

Um vídeo de animação que fala do mal de Alzheimer. 23.35 h. Melhor roteiro original: Michel Gaztambide e Enrique Urbizu, por Não haverá paz pros malvados. Isto está ficando alongado demasiado. 23.29 h. – Melhor direção de realização: André Santana, por Blackout .

Ana Wagener, pela voz entorpecida. 23.Vinte h. – Melhor som: Ignacio Royo-Villanova e Lícia Marcos de Oliveira, por Não haverá paz pros malvados. 23.18 h. – Melhor música original: Alberto Igrejas, por A pele que habito. A trilha sonora, que escolheu Almodóvar é, deixe-me dizer, um dos acertos do filme. 23.15 h. – Ele mesmo anuncia a mais recomendada canção original: Nana, de menta, de Carmen Agredano pela voz entorpecida. Bela canção pro video de Zambrano. 23.12 h. – A colchões juliano faz um rap que a plateia aplaude. 23.10 h. – González Macho: “A Academia é uma entidade respeitável e respeitado”. 23.05 h. – González Macho, que bate papo sobre as alterações na indústria: “Qualquer rotação imprudente poderá transportar-nos ao vago”.

  • Nove de sessenta e dois
  • um Os ortofosfatos
  • 20 março 2009 | 12:23
  • cinquenta e quatro Don’t Forget (canção)
  • Ambos, o início e o encerramento alternativos, estão acessíveis na versão de Blu-Ray
  • dois Em oitenta
  • 34 Falta a temperatura em graus Celsius

23: 00 h. – Discurso do presidente (González Macho) e as vicepresidentas (Marta Etura e Judith Colell) da Academia, que dão as boas noites, em catalão, basco e galego. Centram suas frases em queda e pedem “autocrítica”. 22.54 h. – Imediatamente se torna público o nome da vencedora de melhor atriz revelação: Maria Leão, pela voz entorpecida. Emocionada, diz: “Ao desfecho foi verdade, eu ganho um Goya!” É dedicada às “mulheres que aprenderam a perdoar, entretanto que não esquecem”.

No final das contas, uma intervenção emocionante. 22.51 h.- O mais incrível montagem ganha Paulo Branco, por Não haverá paz para os malvados. Um clássico do objeto de Urbizu. 22.Cinquenta h. – Melhores efeitos especiais: Lluis Castells e Arturo Balseiro, por Eva. Prêmio esperado e merecido. Menção e agradecimento pra ESCAC, a faculdade Superior de Cinema i Audiovisuals de Catalunya.